Personalização

Acessibilidade

Idioma do site

Elifas Andreato: As cores da resistência

A exposição Elifas Andreato: As cores da Resistência apresentou aspectos da vida e obra de Elifas Andreato (1946, Rolândia, PR), um dos principais artistas gráficos do país.

Foram expostos mais de 100 trabalhos do artista entre cartazes para peças de teatro, capas de livros, discos, revistas e de jornais da imprensa alternativa. Tudo com recorte na resistência à ditadura militar.

Além de artista gráfico, ilustrador e diretor de arte, Andreato trabalhou como escultor; cenógrafo, roteirista e diretor de shows de MPB e programas de TV; cenógrafo teatral; jornalista e editor.

Crítico da ditadura, o artista participou da criação da revista Placar e da coleção História da Música Popular Brasileira. Colaborou com os semanários Opinião, O Movimento e a revista Argumento.

Foi programador visual de peças teatrais como Ricardo III (Shakespeare), Mortos Sem Sepultura (Jean-Paul Sartre), Murro em Ponta de Faca (Augusto Boal). Criou capas de discos para Chico Buarque (Ópera do Malandro, Almanaque e Vida), Vinicius de Moraes e Toquinho (Arca de Noé 1 e 2, Um Pouco de Ilusão) e João Bosco (Essa é Sua Vida e Bandalhismo).

“Minha arte se liga à história de minha vida, das vidas assemelhadas à minha, e serve para contar o que eu e pessoas semelhantes a mim entendemos seja o mundo, a justiça e a liberdade”, diz Andreato.

Materiais da exposição

Ficha Técnica

Curadoria
José Carlos Bruno

Museologia
Kátia Felipini Neves

Ação Educativa
Caroline Grassi Franco de Menezes
Marina de Araújo
Renan Beltrame

Expografia
José Carlos Bruno

Execução e montagem
Equipe técnica da Pinacoteca do Estado de São Paulo

Comunicação Visual
Zoldesign
Renato Salgado
Juliana Azem Ribeiro de Almeida Fontes

Fontes/Agradecimentos
Arquivo Público do Estado de São Paulo
Andreato Comunicação & Cultura
Instituto Vladimir Herzog
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo

Memorial Temporariamente Fechado

Seguindo as orientações do Plano São Paulo de combate à pandemia, o Memorial está fechado para atividades presenciais até que seja autorizado o seu funcionamento. O Memorial continua realizando atividades de maneira virtual! Para não perder nada da nossa programação online acompanhe nossos canais de comunicação.

Esperamos ver todos em breve!