Personalização

Acessibilidade

Idioma do site

Aprovada a inscrição de Marighella no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria

Na última terça-feira, 30 de novembro, a Comissão de Cultura da Câmara aprovou um Projeto de Lei (PL) que pede a inscrição de Carlos Marighella no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria

Presente no Panteão Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, o Livro de Aço, como também é conhecido, homenageia personagens que tiveram papel importante para construção do país, como Zumbi de Palmares e Anita Garibaldi.  

Com autoria dos deputados federais Valmir Assunção (PT-BA) e Janete Capiberibe (PSB-AP), o projeto teve aceitação da parlamentar Jandira Feghali (PCdoB-RJ). Segundo o deputado petista, o projeto tem a pretensão de celebrar o centenário de nascimento de Marighella que, acontece no dia 05 de dezembro.  

O texto foi aprovado em votação simbólica, o que significa que não há registros de quem votou contra ou a favor. 

Em 04 de novembro de 1969, Marighella foi vítima de uma emboscada e acabou assassinado por agentes do DEOPS-SP, coordenada pelo delegado Sérgio Fleury em São Paulo, na Alameda Casa Branca. Sua morte foi divulgada oficialmente como resultado de um tiroteio e, em reconhecimento da ação, 43 policiais envolvidos foram promovidos por “bravura”.  

Somente em 1996 o Estado brasileiro reconheceu a morte de Carlos Marighella como um ato de execução por parte do Estado autoritário e, em 2012, recebeu anistia póstuma após apurações da Comissão Nacional da Verdade.