Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

Personalização

Acessibilidade

Idioma do site

Conheça as propostas selecionadas do edital Memórias do Presente

Conteúdos discutem as memórias de resistência e repressão da ditadura civil-militar (1964-1985) em bairros periféricos do Estado de São Paulo

Fonte: Arquivo Público do Estado de São Paulo

Foto: Arquivo Público do Estado de São Paulo

Conheça o resultado do edital Memórias do Presente: Comunicação em Direitos Humanos! Em sua primeira edição, o edital selecionou duas propostas voltadas às memórias da Ditadura Civil-Militar (1964-1985) nas periferias de cidades paulistas. 

Publicadas ao longo dos próximos meses nas redes do Memorial, as propostas foram: Violência espraiada: ditadura e militarização para além da metrópole, de Luiza Guerra, e Escola de samba e a resistência negra durante a ditadura militar, de Djalma Lucio Leite de Campos.  

Saiba mais sobre o que vem por aí: 

Violência espraiada: ditadura e militarização para além da metrópole 

Foto colorida de uma mulher branca, que olha para a câmera. Ela tem cabelos compridos levemente ondulados, na cor castanho, e veste uma blusa estampada em tons de laranja, branco e preto. Ao fundo, uma parede amarela.

Luiza Guerra é formada em Comunicação Social pela Universidade Metodista (UMESP), e atua há mais de 10 anos na área de educação popular. Trabalhou no minidocumentário Atibaia 70, que conta a história de Damaris Lucena e Antônio Raymundo de Lucena, vítimas da ditadura civil-militar na cidade de Atibaia, em São Paulo. 

Esse é o tema também de sua proposta: a partir da história do assassinato de Antônio Raymundo de Lucena e da prisão de Damaris Lucena e de seus três filhos, no ano de 1970, sua série de três textos explora como a militarização e a violência da polícia se desenvolveram desde então na cidade (mais especificamente no bairro Jardim das Cerejeiras) e como a violência e resistência popular se espraiavam pelos municípios interioranos no Estado. 

Escola de samba e a resistência negra durante a ditadura militar 

Djalma Lucio Leite de Campos é jornalista, produtor cultural, podcaster e pesquisador da área de cultura musical, formado em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC). Atualmente é colaborador da revista Carreira Preta e apresentador do podcast negro Seis e Um. 

O tema Escola de samba e a resistência negra durante a ditadura militar será explorado através de uma série em podcast que irá investigar, através de entrevistas, como se deu a resistência à ditatura no universo das escolas de samba e das comunidades do samba da capital paulista e Grande São Paulo. 

Acompanhe as redes do Memorial para conferir quando serão publicados os primeiros conteúdos!