Personalização

Acessibilidade

Lugares da Memória. Resistência e repressão em São Paulo

A exposição Lugares da Memória. Resistência e repressão em São Paulo apresentou fotografias, mapas e recortes de jornais sobre os lugares de memória de São Paulo que contam histórias sobre as ações de controle, repressão e resistência políticas no Brasil durante os dois regimes autoritários – o Estado Novo (1937-1945) e a Ditadura Militar (1964-1985) – e em períodos de democracia.

Foram exibidos cerca de 100 fotografias e documentos do Deops/SP (Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo), 50 recortes de jornais e um mapa da Coalizão Internacional de Lugares de Consciência que apresenta iniciativas de grupos e instituições da América Latina voltadas à defesa dos direitos humanos.

O público pode conhecer lugares como presídios, praças, sindicatos, hospícios, campos de aprisionamento, igrejas, ruas, teatros, que guardavam a memória de atrocidades, lutas e conquistas, de maus tratos e solidariedade.

Entre os lugares emblemáticos estavam a Catedral e a Praça da Sé, a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no Largo São Francisco, o teatro da Universidade Católica de São Paulo – Tuca, o Instituto Cultural Israelita Brasileiro, entre outros.

A mostra marcou o lançamento do Programa Lugares da Memória que visa expandir o alcance preservacionista do Memorial.

Materiais da exposição

Ficha Técnica

Curadoria
Kátia Felipini Neves
Vladimir Sacchetta

Coordenação Geral
Kátia Felipini Neves

Coordenação de Pesquisa
Vladimir Sacchetta

Ação Educativa
Caroline Grassi Franco de Menezes

Execução e montagem
Núcleo de expografia e montagem da Pinacoteca do Estado de São Paulo

Comunicação visual
Zol Design

Pesquisa
Danilo Eiji
Larissa Fernanda de Castro
Natália Frizzo de Almeida
Renata Cristina Paulino Barbosa
Vanessa do Amaral
Vanessa Ribeiro Sterk

Apoio
Arquivo Público do Estado de São Paulo
Base Aerofotogrametria e projetos
Acervo Iconographia

Memorial Temporariamente Fechado

Seguindo as orientações do Plano São Paulo de combate à pandemia, o Memorial está fechado para atividades presenciais até que seja autorizado o seu funcionamento. O Memorial continua realizando atividades de maneira virtual! Para não perder nada da nossa programação online acompanhe nossos canais de comunicação.

Esperamos ver todos em breve!