Personalização

Acessibilidade

Idioma do site

Curso em parceria com Instituto Bixiga aborda infância e juventude na Ditadura Militar

O curso apresenta criticamente os aspectos sociais, jurídicos e culturais do tratamento dispensado à infância e juventude brasileira pela Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)

Semana da Criança com o Governador Laudo Natel no Palácio dos Bandeirantes, 1971 (Arquivo Público Estado SP)

No dia 20 de outubro, mês em que tradicionalmente a sociedade brasileira celebra a Infância e Juventude, o Instituto Bixiga – Pesquisa, Formação e Cultura Popular em parceria com o Memorial da Resistência de São Paulo oferecem o curso O tratamento tutelar, encarcerador e autocrático da Infância e Juventude na Ditadura Militar no Brasil (1964-1985).

O encontro tem como objetivo apresentar e problematizar criticamente os aspectos sociais, jurídicos e culturais do tratamento dispensado à infância e juventude brasileira pela Ditadura Militar no Brasil (1964-1985), período marcado pela consolidação de um maior controle estatal da vida das crianças, jovens e famílias das classes trabalhadoras, e pela transformação da denominada “questão do menor” em alvo frequente de intervenções arbitrárias do Estado pautadas na Doutrina de Segurança Nacional e na Doutrina da Situação Irregular.

Professores

Prof.ª Dra. Danielle Franco da Rocha
Doutora em História Social, Mestra em Ciências Sociais e Bacharel em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora e Pesquisadora do Instituto Bixiga de Pesquisa, Formação e Cultura Popular. Professora do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Professora de História e Educação Patrimonial nas Licenciaturas de História, Letras e Pedagogia. Tem experiência nas áreas de História, Educação, Economia, Sociologia e Serviço Social. Atuando nos seguintes temas: História Social da Cidade, Ditadura Militar no Brasil, Educação Patrimonial, História Brasileira e Latino Americana. Pesquisadora do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC) e do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História PUC-SP.

Prof.º Dr. Edimilsom Peres Castilho
Doutor e Mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Arquiteto e Urbanista pela Universidade Federal de Uberlândia (FAUeD). Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga de Pesquisa, Formação e Cultura Popular. Professor dos Cursos de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP, em Paisagismo da UNESP-Registo e Arquitetura da Paisagem do SENAC-SP. Tem experiência nas áreas de História Social da Cidade, Arquitetura e Urbanismo, Arquitetura da Paisagem, atuando nos seguintes temas: História Social da Cidade, Ditadura Militar no Brasil, Educação Patrimonial, Mapeamento e Informação em Cidade, Planejamento Territorial. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC) e do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL), ambos ligados ao Programa de Pós-graduação em História Social PUC-SP.

Prof.º Dr. Eribelto Peres Castilho
Doutor e Mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Bacharel em Direito pela PUC-SP. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor do Curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares (FAZP). Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Tem experiência nas áreas de História, Economia, Direito, Ciência Política, Serviço Social, atuando nos seguintes temas: História e Economia Brasileira e Latino Americana, Ditadura Militar no Brasil, Direito, Sociologia, Serviço Social. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC) e do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL), ambos ligados ao Programa de Pós-graduação em História Social PUC-SP.