Largo General Osório, 66
Santa Ifigênia, São Paulo, SP
Telefone: 55 11 3335-5910
Entrada Gratuita
Aberto de quarta a segunda (fechado às terças), das 10h às 18h
faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br


EXPOSIÇÕES

Mulheres em Luta! Arquivos de memória política




Fotografia: Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP)

  De 7 de outubro de 2023 a 28 de julho de 2024

  Classificação indicativa: 12 anos

O Memorial da Resistência de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo, apresenta a exposição Mulheres em Luta! Arquivos de Memória Política, com curadoria de Ana Pato. A mostra tem como fio condutor o acervo de história oral do Memorial da Resistência que compõe o programa Coleta Regular de Testemunhos, com depoimentos de mulheres que vivenciaram a violência de Estado no período da Ditadura Civil-Militar (1964-1985) e na Democracia. 

Olhar para o período da Ditadura Civil-Militar sob a perspectiva de gênero é a linha que tece esta exposição, e através dos testemunhos, abordamos as lutas coletivas de mulheres por Memória, Verdade e Justiça e por direitos fundamentais. Pelo que lutam? Como lutam? Quais são suas histórias?

Luta por Memória, Verdade e Justiça

Começamos com um convite à escuta de testemunhos da Coleção Memórias da Ditadura Civil-Militar, na instalação partitura da escuta (2023), de Bianca Turner. As narrativas dessas mulheres nos levam a percorrer outros arquivos, como o de Inês Etienne Romeu, única sobrevivente do centro clandestino de tortura conhecido como Casa da Morte, em Petrópolis/RJ.  

Sua coragem para enfrentar o aparato repressivo da Ditadura motivou uma campanha internacional por liberdade, da qual o filme Inês (1974), de Delphine Seyrig, é um importante documento histórico. São também as denúncias de Inês que nos aproximam da história da desaparecida política Heleny Guariba. Sua memória é apresentada nos cenários do filme Cadê Heleny? (2022), de Esther Vital, bordados em arpilleras por mulheres, a partir de oficinas realizadas no museu. 

O imaginário de luta da pensadora negra, militante e poeta Beatriz Nascimento está presente em três poemas escritos nos anos 1980 e que trazem um retrato urgente e contemporâneo das formas de resistir contra a violência, a impunidade e o racismo. 

As marcas profundas da ditadura entrelaçam o passado e o presente, como mostra a série Do luto à luta (2023) dirigida por Val Gomes. Os vídeos reúnem testemunhos da Coleção Memórias da Violência na Democracia com integrantes dos coletivos Mães de Maio da Leste, Movimento de Familiares de Vítimas do Massacre de Paraisópolis e Mães de Osasco/Barueri.

Luta por Direitos

A partir de meados dos anos 1970, a militância das mulheres por direitos ganhou força. Demandas por saúde, educação e moradia digna, presentes nas reuniões dos Clubes de Mães da Zona Sul, encontraram as pautas feministas da União de Mulheres de São Paulo. Hoje, continuam a inspirar projetos como as Promotoras Legais Populares.  

O registro visual das lutas populares é central para a construção da memória política do país, como revela o acervo fotográfico de Nair Benedicto. Exibir imagens das oficinas Conhecendo o Corpo Feminino (1984) no edifício que foi sede do Deops/SP, onde muitas das mulheres aqui presentes foram torturadas, é um gesto de liberdade. 

Conquistas na luta por direitos são frutos da dedicação de vidas inteiras, como a de Laudelina de Campos Mello em defesa das trabalhadoras domésticas, e de organizações como o IN.FORMAR, criado para apoiar e documentar movimentos sociais. 

A história oral, os encontros em círculos e as rodas de conversa nos conectam com a Escola de testemunhos, do Grupo Contrafilé, e com os percursos de memória mediados pelo Acervo Bajubá, em torno das ações do coletivo Mulheres da Luz e das experiências das comunidades LGBT+ em defesa de suas identidades e sexualidades. 

Das histórias de vida fraturadas pela dor às redes de afeto construídas na resistência, esta exposição é um ato de memória à força política das mulheres.

Materiais

Ficha técnica

MULHERES EM LUTA! ARQUIVOS DE MEMÓRIA POLÍTICA

Curadoria
Ana Pato

Assistência de Curadoria e Pesquisa
Carolina Faustini Junqueira

Artistas, coletivos e movimentos
Acervo Bajubá
Beatriz Nascimento
Bianca Turner
Delphine Seyrig
Estela Carvalho
Esther Vital
Emicida & Batucaderas do Terreiro dos Órgãos
Grupo Contrafilé
Mães de Maio da Leste
Mães de Osasco/Barueri
Movimento de Familiares das Vítimas do Massacre em Paraisópolis
Mulheres da Luz
Nair Benedicto
Norma Bengell
Promotoras Legais Populares de São Paulo
União de Mulheres de São Paulo
Val Gomes

Textos e Legendas
Carolina Faustini Junqueira
Pâmela de Almeida Resende

Projeto Expográfico
Goma Oficina
Christian Salmeron
Teresa Vicini Lodi (assistente)

Identidade Gráfica
Goma Oficina
Maria Cau Levy
André Stefanini

Comunicação Visual
Goma Oficina
André Stefanini
Maria Cau Levy
Flora Milanez

Projeto de Iluminação
Saullo Costa da Silva Andretti

Colagem de Foto Gigantismo
Julio Dojcsar

Digitalização de Acervo Fotográfico
Fernando Fortes

Ação Educativa
Equipe do Programa Educativo

Produção
Angela Gennari
Cecilia Zuchi Vezzoni
Lucas Ribeiro

Montagem
Duzzi Cenografia

Assessoria de Imprensa
Si Comunicações – Silvana Inácio

Revisão
Fernanda Alvares

Tradução
Brune Carvalho

Realização
Associação Pinacoteca e Cultural (APAC)

Arquivos

Armazém Memória
Arquivo Comissão Nacional da Verdade
Arquivo Histórico da Câmara dos Deputados
Arquivo Público do Estado de São Paulo
Arquivo da União de Mulheres de São Paulo
Acervo Cinemateca Brasileira
Acervo Memorial da Resistência de São Paulo — Programa Coleta Regular de Testemunhos
CAAF/UNIFESP – Centro de Antropologia e Arqueologia Forense
Casa Laudelina de Campos Mello — Organização da Mulher Negra
Centre Audiovisuel Simone de Beauvoir
Centro de Documentação e Memória da UNESP (CEDEM)
Fundação Beatriz Nascimento
IIEP — Intercâmbio, Informações, Estudos e Pesquisas
Sindicato das Trabalhadoras Domésticas de Campinas

Agradecimento
Amelinha Teles, Aparecida Marcondes de Oliveira, Bethania Nascimento Freitas Gomes, Bruno O., Cibele Lucena, Cleusa Aparecida da Silva, Conceição da União, Criméia de Almeida, Desirée de Lemos Azevedo, Estela Carvalho, Helena Zelic, Isabel Cristina Leite, Joana Zatz Mussi, Josiane Nascimento, Marcos Tolentino, Orestes Toledo, Paula Ribeiro Salles, Pedro Henrique Santos Cursino, Rafael Leona, Rafael Moretti, Rodrigo Otavio Garcia, Sandra Aparecida Pereira, Sebastião Lopes Neto, Sheila Aparecida Rodrigues Soares, Yara Cristina Gabriel, Yuri Fraccaroli.

O Memorial da Resistência agradece a todas as mulheres pelas entrevistas concedidas ao Programa Coleta Regular de Testemunhos.

Em atenção à lei 9610/1998, todos os esforços foram feitos para localizar os detentores dos direitos das obras aqui expostas. Em caso de possíveis omissões, por favor entre em contato com faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br.

Governo do Estado de SP