Personalização

Acessibilidade

Hiatus: a Memória da Violência Ditatorial na América Latina

A exposição Hiatus: a Memória da Violência Ditatorial na América Latina promoveu o encontro de oito artistas dedicados ao tema da memória, com pesquisas que emergem e dialogam com os resultados das Comissões da Verdade e modos de violações semelhantes no mundo contemporâneo.

Sejam instalações, fotografias pessoais com intervenções, estruturas ou vídeos, a produção apresentada em Hiatus apontou para os dias de hoje, numa memória continuamente atualizada pelo esquecimento e pela barbárie. 

A palavra Hiato do latim “hiatus” remete à falta, lacuna, interrupção, abismo. Uma exposição voltada para a memória das ditaduras na América Latina enfatiza que essas ditaduras representaram rupturas históricas e constituíram uma “falta”, um vazio dificilmente simbolizável.

Num momento político em que observamos o apagamento sistemático da memória da ditadura no Brasil e observamos a relativização da gravidade das violações cometidas nesse contexto, a exposição ‘Hiatus’ traz a potência da arte e da memória na luta pela democracia, justiça e verdade, nessa missão fundamental que o Memorial da Resistência tem de lembrar o que aconteceu para que não se repita”, diz Marilia Bonas, coordenadora do Memorial. 

A exposição foi fruto da parceria do Memorial da Resistência com o Goethe-Institut São Paulo e o Instituto de Estudos Avançados da USP.

Materiais da exposição

Ficha técnica

Curadoria 

Marcio Seligmann-Silva 

Produção 

Marcio Seligmann-Silva 

Marilia Bonas 

Fúlvia Molina 

Artistas Convidados 

Andreas Knitz 

Clara Ianni 

Fúlvia Molina 

Horst Hoheisel 

Jaime Lauriano 

Leila Danziger 

Marcelo Brodsky 

Rodrigo Yanes 

Ação Educativa 

Equipe do Programa de Ação Educativa 

Apoio 

Área de Infraestrutura da Pinacoteca de São Paulo 

Área de Projetos Culturais da Pinacoteca de São Paulo 

Área de Conservação e Restauro da Pinacoteca de São Paulo 

Comunicação Visual e Projeto Gráfico 

Ludovico Desenho Gráfico 

Agradecimentos 

Paulo Saldiva (diretor do Instituto de Estudos Avançados, IEA-USP), Katharina  Ruckteschell-Katte (diretora do Goethe Institut São Paulo), Martin Bach (Goethe Institut São Paulo), Katia Filipini (Memorial da Resistência), Paulo Endo (IPUSP/ IEA-USP),  Lua Gill da Cruz (IEL-UNICAMP),  Liniani Haag Brum (IEL-UNICAMP),  Luciana Araujo Marques (IEL-UNICAMP),  Ariani Sudatti (advogada/ UNICAMP),  Elisabete Marin Ribas (Instituto de Estudos Brasileiros, IEB-USP),  Janaina de Almeida Teles (USP),  Maurice Politi (Núcleo Memória),  Área de Conservação e Restauro da Pinacoteca de São Paulo.

Memorial Temporariamente Fechado

Seguindo as orientações do Plano São Paulo de combate à pandemia, o Memorial está fechado para atividades presenciais até que seja autorizado o seu funcionamento. O Memorial continua realizando atividades de maneira virtual! Para não perder nada da nossa programação online acompanhe nossos canais de comunicação.

Esperamos ver todos em breve!