Personalização

Acessibilidade

Foto colorida com detalhe da placa de rua azul com uma pequena faixa branca abaixo em que lê-se Angélica, com letras maiores brancas e abaixo lê-se Av. Angélica também em branco. Atrás da placa é possível ver um poste e folhas de árvore.
A Avenida Angélica, via da região central de São Paulo que termina próxima à Avenida Paulista, foi palco, durante a ditadura, do assassinato do militante Ronaldo Mouth Queiroz. Crédito: Alessandra Haro. Memorial da Resistência de São Paulo
Foto colorida de uma avenida larga e arborizada com prédios em seu entorno. A avenida está sem carros e com poucas pessoas na calçada. Na lateral esquerda é possível ver um ponto de ônibus atual, de vidro e ferro.
Ronaldo Mouth Queiroz foi executado, em abril de 1973, em um ponto de ônibus na Av. Angélica. Crédito: Alessandra Haro. Memorial da Resistência de São Paulo
Foto colorida de avenida larga e arborizada com prédios na lateral. A avenida está sem carros e com poucas pessoas na calçada. A foto foi tirada bem no meio da avenida, de onde é possível perceber o quão grande é sua extensão, pois não conseguimos ver seu fim.
Não se sabe precisar o local exato da execução do jovem. Crédito: Alessandra Haro. Memorial da Resistência de São Paulo

Avenida Angélica

Memorial Temporariamente Fechado

Seguindo as orientações do Plano São Paulo de combate à pandemia, o Memorial está fechado para atividades presenciais até que seja autorizado o seu funcionamento. O Memorial continua realizando atividades de maneira virtual! Para não perder nada da nossa programação online acompanhe nossos canais de comunicação.

Esperamos ver todos em breve!